segunda-feira, 5 de março de 2012

DOM QUIXOTE E OS GOVERNANTES








Esta e demais lustrações são litogravuras
 do francês Gustave Doré (1832-83)





Dom Quixote é uma daquelas obras-primas do engenho e refinamento humano. Mas parece escrito por mãos superiores. Narra a história dum velho fidalgo que, de tanto ler romances de cavalaria, imagina-se, ele próprio, um extemporâneo cavaleiro andante. E, no frenesi dos delírios, sai na ânsia de endireitar as torpezas do mundo, em socorro dos aflitos e injustiçados. Seu escudeiro, o lavrador Sancho Pança, é seduzido pelas venturas e aventuras do herói sonhador.





 
 

Na segunda parte (1615), Quixote e Sancho são recebidos no Castelo dos Duques. Como os moradores já conheciam a fama do personagem, por o terem lido na primeira parte (1605), pregam-lhe todo tipo de troças e patifarias. No entanto, como não via nos outros nenhum tipo de maldade, imagina que as afrontas recebidas o homenageavam. Em certo momento, prometem a Sancho uma ilha para governar. Acreditando ser verdade, Dom Quixote explica ao companheiro sobre como deveria se pautar no exercício do poder (Cap. II-XLII).







 

Foram muitos os alertas a Sancho acerca dos subornam, importunam e porfiam para estarem ao lado dos governos em busca de vantagens. “Os grandes cargos – ensina – não são senão um golfo profundo de confusões”. Previne-o para afastar-se dos venais e fraudulentos, e dos que usam o patrimônio coletivo em benefício pessoal, de correligionários, bajuladores, aliciadores de votos e parentes. Se ética e moralidade são pressupostos da honradez, mais seriam a de alguém no cargo de governante.








Apresento meia dúzia de preceitos ditos por Quixote ao escudeiro, em tradução livre do original. Como adornos da alma, alertam aos que exercem funções públicas, à época em que a obra foi concebida e em todos os tempos. E nos advertem como deveríamos governar a nós mesmos ao longo da existência.






1. Nunca te guies pela lei do bel-prazer, que costuma ter cabimento entre os ignorantes e presumidos. 2. Achem em ti mais compaixão as lágrimas do pobre, porém não mais justiça que as informações do rico. 3. Procura a verdade por entre as promessas e favores dos poderosos, como por entre os soluços insistentes dos despossuídos. 4. Quando tiveres que julgar, não descarregues todo o rigor da lei sobre o delinquente, pois não é melhor a fama do juiz rigoroso que a do compassivo. 5. Se acaso fizeres concessão às leis, que não seja com o peso da dádiva, mas da misericórdia. 6. Ao que castigares com obras não o trates mal com palavras, pois basta ao infeliz a pena do suplício, sem o acréscimo das más razões.






O velho Quixote, encarnação do ser em estado sublime, confunde-se com Miguel de Cervantes. Idealismo e realidade se misturam. Um nasceu para as páginas do livro; o outro para escrevê-las. Talvez tenham sido loucos-gênios ou gênios-loucos. Não importa. Persistem visionários e comoventes, a abastecer-nos de reflexões sobre as seivas mais puras do existirmos. Para nos tornarmos sensíveis e por isso melhores, nos intrincados enredos da vida.





Primeira edição da primeira parte (1605)






81 comentários:

  1. Qué linda...

    Alejandra Carrizo Martinez (Chile)

    ResponderExcluir
  2. Que lindo,Romildo!
    Tem muita "gente" que precisaria ser como Dom Quixote.
    Adorei,amigo!Parabéns.


    Marta Mazzotta

    ResponderExcluir
  3. Parabéns! Adorei a crônica e relembrar um pouco de Dom Quixote, sempre atual e para todos.
    Silvia Rego

    ResponderExcluir
  4. Amei!!!
    Elemy H. Lacerda

    ResponderExcluir
  5. EXCELENTE ROMILDO. ATUALÍSSIMA!!!

    Tidda Vernucci

    ResponderExcluir
  6. ‎"Procura a verdade por entre as promessas e favores dos poderosos, como por entre os soluços insistentes dos despossuídos." Esta é parte que deveria ser obrigatória, na consciência destes nossos politicos. Mais uma vez, parabéns Professor.

    Basílio Neto Almeida

    ResponderExcluir
  7. "Muchisimas gracias Romildo !!!! un beso"

    Maria Gabriela Rubel

    ResponderExcluir
  8. Que beleza Romildo! Só Dom Quixote e Sancho (dois idiotas pobrezinhos cheios de carisma e "verdades") para entrarem numa roubada dessa, acreditando que, com a integridade e doce ilusão, poderiam mais uma vez, duelar, não com moinhos de ventos, mas sim com integridade e justiça contra a corrupção que assola os governantes...!!! E a Dulcinéia, por ande anda hein??? rsrs bjsssss e parabéns pela crônica, muito bem sacada...!!!
    Claudete Liberalli


    Claudete Liberalli

    ResponderExcluir
  9. -Sensacional-

    “Os grandes cargos – ensina – não são senão um golfo profundo de confusões”.

    Amei muito!!!

    Marô

    ResponderExcluir
  10. COMO SEMPRE E JÁ ERA DE SE ESPERAR, MUITO BEM ARTICULADO, BOM TEXTO, BOAS E BEM COLOCADAS PALAVRAS, UM TEMA INTERESSANTE, IMPORTANTE... GOSTEI MUITO. PARABÉNS

    Vanessa Godoi

    ResponderExcluir
  11. Romildo Sant'Anna, semana passada "ganhei um empréstimo" (existe isso?) de uma edição especial de Dom Quixote. A crônica só me deixou com ainda mais "água na boca" =) Abraço e boa semana!"

    Flaviana Ribeiro

    ResponderExcluir
  12. Lindo (o personagem, Cervantes e o seu texto)! Abração!

    Alessandra Possato

    ResponderExcluir
  13. Não tem como não gostar amigo Romildo... Tudo em seu blog é ótimo!!! E mais uma vez... Parabéns!!!"

    Dalva Almeida

    ResponderExcluir
  14. Parabéns Romildo !!! Fantástico...

    ResponderExcluir
  15. Há quem sustente que o discurso político moderno nada mais é do que a secularizaçao de conceitos teológicos. Cervantes, na esteira de Beccaria, quer um juiz justo e misericordioso para julgar o delinquente; um político honesto e honrado para governar. Idealismo que contrasta com a política real: cruel, corrupta, amoral e nepotista. Esse contraste nunca foi tão profundo como nos dias atuais. A cada dia temos menos Madres Terezas e mais Sarneys mundo afora. Mas é sempre bom lembrar que existem os dois lados. Obrigado Romildo por mais essa lição, cheia de "reflexões sobre as seivas mais puras do existirmos, para nos tornarmos sensíveis e por isso melhores, nos intrincados enredos da vida". Parabéns! José Manoel de Aguiar Barros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu comentário é tão bom quanto o texto do Prof. Romildo. Parabéns, também. Jade.

      Excluir
  16. Professor, conforme se diz com certa pompa: "escusaria afirmar" que seus textos são sempre muito inspirados e agudos. Foi um gosto especial a leitura.
    João Adalberto Campato Jr.

    ResponderExcluir
  17. Parabéns Romildo Sant'Anna! Sua crônica, deveria ser lida pelos governantes que abusam do poder, agindo como se fossem donos, esquecendo que um dia, de alguma forma, terão que prestar contas...bj.
    Elza Maria Bellini

    ResponderExcluir
  18. Me lembrou um filme com o falecido Peter Sellers...MUITO ALÉM DO JARDIM... Um simplório jardineiro que, após a morte de seu patrão, precisou sair da mansão onde trabalhava pela primeira vez em sua vida, e que só conhecia o mundo através da televisão, é considerado um gênio por um homem de negócios influente.
    Lílian Mara Secches Mansor

    ResponderExcluir
  19. Li e adorei Romildo...Dom Quixote é apaixonante! Sua crônica muito bem escrita nos faz repensar nossos valores...liderança para servir...só isso importa...Será que um dia vamos aprender realmente isso????!!!!Bjs
    Lílian Mara Secches Mansor

    ResponderExcluir
  20. Parabéns Romildo !!! Que muitos em posição de comando, leiam sua crônica e sobre ela reflitam...

    Abraço
    Elza

    ResponderExcluir
  21. Edmilson Gaspar de Meloterça-feira, março 06, 2012

    Muito bom, você melhora a cada dia.

    ResponderExcluir
  22. Extremamente pertinente, reflexões importantes para os dias que atravessamos em que a ambiguidade permeia a ética e o bom senso. Leitura instigante e sensível.Gostei muito Romildo.Abraco.

    ResponderExcluir
  23. Bom dia Romildo! Tudo o que escreve tem muita propriedade! Parabéns
    Vera Mussi Hage

    ResponderExcluir
  24. OLÁ ROMILDO, JÁ ATÉ ESTOU COMPARTILHANDO, KKK. FORTE ABRAÇO!
    DrFábio A. De Siqueira

    ResponderExcluir
  25. Não tem como não gostar!!!Adorei e vou compartilhar.Beijo.
    Vera Lucia Locilento

    ResponderExcluir
  26. Esse questionamento, caro Romildo Sant'Anna, é útil para o setor público e privado também. Muitos se perdem no exercício dos cargos de chefia, por absoluta incompetência, despreparo e ausência de valores éticos, e sobretudo, pela ganância. Sábias palavras meu caro. abs.

    Fabio E. Monteiro

    ResponderExcluir
  27. Caro Romildo
    Hoje já é possivel conhecer o que joio e o que trigo. Antes separa-los era perigoso porque na ceifa poderia cortar o que bom junto com o que é ruim. ser humano em desenvolvimento ainda está na infância do progresso moral. Essa lição que hoje você posta é uma exectastiva de todos nós para vivermos um muindo mais digno.
    Parabéns.
    wilson focassio

    ResponderExcluir
  28. Sem dúvida uma grande criação de Cervantes, qualificado como o expoente da literatuda Espanhola, com a relevância de ter caido mais tarde ao gosto popular. Uma das mais memoráveis obras que li.Amo Dom Quixote.Obrigada Romildo,abrc"

    Virginia Casseb

    ResponderExcluir
  29. Excelente crônica, adorei !!!! Parabéns !!!! Ótima semana, bjoss.
    Ligia Queiroz

    ResponderExcluir
  30. Muito legal a crônica sobre Dom Quixote. Parabéns Romildo! Bejos para você e também para a Evanilda Amaral.
    Aline Suélen Iiachinsk

    ResponderExcluir
  31. Bela tarde, e excelente texto, Romildo Sant'Anna !! Muito bem colocado, e extremamente atual !!"
    Marcia Regina Spolzino Porto

    ResponderExcluir
  32. saudades...estava a ler seu blog ontem a noite...logo depois da caminhada...vamos caminhar.klkkkkkkkkkkkbj"
    Valéria Torres

    ResponderExcluir
  33. Professor, excelente texto. Que ficou ainda melhor com as ilustrações do mestre Doré.

    ResponderExcluir
  34. Dentre tantas verdades, destaco: "Previne-o para afastar-se dos venais e fraudulentos, e dos que usam o patrimônio coletivo em benefício pessoal, de correligionários, bajuladores, aliciadores de votos e parentes." Parabéns meu caro Romildo. Abração.
    Renato Pupo

    ResponderExcluir
  35. Adorei, Romildo. É mesmo, tudo verdade... ou uma grande ilusão. Basta escolher entre a verdade e a ilusão? Ou tentar torná-la a nossa realidade??!
    Beijos, amigo.
    Jacq

    ResponderExcluir
  36. Romildo..escrevi tanta coisa sobre sua magnífica postagem... Mas,resumindo... foi sensacional,pq esta obra prima nos remete a pensar sobre princípios morais,injustiças no mundo etc etc...e tb ter momentos reflexivos e exploratórios do conhecimento,que passa a ser um exercício necessário e instigante que é PENSAR ...e buscar respostas para a nossa própria vida...enfim, LER, interpretar sem grandes comprometimentos,apenas com sensibilidade...

    Cidinha Gattaz

    ResponderExcluir
  37. Romildo, você é a prova de que a Intelgência convertida em texto jamais será superada.Amo Dom Quixote,obrigada
    Abraços, Cida Cabrera

    ResponderExcluir
  38. Parabéns, Romildo ! Fantástica esta Crônica .
    Grande abraço. Grata por me enviares.
    Vera Mussi

    ResponderExcluir
  39. Não pude ir a sua palestra sobre Dom Quixote, no Automóvel Clube. Mas lendo a crônica consegui recuperar a essência desta obra imortal, lida quando havia muito vento movendo meus moinhos.. Roubei do texto o que penso ser o motor flex que continua a mover corações e mentes.
    1- (...) pregam-lhe todo tipo de troças e patifarias;
    2 (...) subornam, importunam e porfiam para estarem ao lado dos governos em busca de vantagens;
    3) Se ética e moralidade são pressupostos da honradez, mais seriam a de alguém no cargo de governante;
    4) E nos advertem como deveríamos governar a nós mesmos ao longo da existência
    5) Ao que castigares com obras não o trates mal com palavras, pois basta ao infeliz a pena do suplício, sem o acréscimo das más razões;
    6) Para nos tornarmos sensíveis e por isso melhores, nos intrincados enredos da vida.

    Abraço, grato pela viagem
    Wilson Guilherme

    ResponderExcluir
  40. Romildo ,vc conseguiu fazer uma síntese prodigiosa,Vou transcrever algumas passagens para a minha pãgina,Abs
    Liberato Caboclo

    ResponderExcluir
  41. Honestidade nao se ensina , nasce com o ser humano isso se chama Caráter!! fica dica
    Luciano Marcos

    ResponderExcluir
  42. Romildo, acredita em coincidência? Estou relendo D.Quixote e domingo falei sobre ele com uma amiga galega...Adorei a sua crônica-imagem. Vou compartilhar. Beijo.Roseli Arruda

    ResponderExcluir
  43. Oi Romildo. Parabéns!!! Adorei a crônica.Bjs.
    Thais Romano Calil

    ResponderExcluir
  44. Meu nobre escritor! Com certeza estarei compartilhando entre amigos toda essa preciosidade que escreves!! Um abraço.
    Ana Maria Marconi

    ResponderExcluir
  45. Cada crônica, uma grande e boa surpresa. Adorei!
    Etel Resende

    ResponderExcluir
  46. Parabéns Romildo!!!!!!!!!!!!!!!!
    Jorge Matos Silva Silva

    ResponderExcluir
  47. Parabéns Romildo! Excelente crônica.
    José Heitor Santos

    ResponderExcluir
  48. Rô,
    você e suas crônicas sempre tão maravilhosas.... Nossa!!!!
    Isso sim me torna " sensível e por isso melhor, nos intrincados enredos da vida."
    Obrigada por isso.
    Beijos, Pá.

    ResponderExcluir
  49. Ôôôô filósofo amigo, este texto mais fácil é de se ler com o coração, que com a inteligência...

    ResponderExcluir
  50. Caro Romildo
    Li sua crônica quixotesca e não me surpreendi. Explico: só alguns privilegiados de mente (ou de alma?) são capazes de perceber a atemporalidade de alguns clássicos como este. Parabéns amigo e não desperdice nunca a boa cuca com besteirol qualquer.
    Abraço amigo

    Wilson Daher

    Wilson

    ResponderExcluir
  51. Meu nobre escritor! Com certeza estarei compartilhando toda essa preciosidade que escreves!! Um abração,
    Ana Maria Marconi

    ResponderExcluir
  52. Poxa, semana passada estava explicando sobre dom Quixote para minha sobrinha, rss...adorei, obrigada pelo presente:)
    Radigi Droubi

    ResponderExcluir
  53. Bom dia.
    Grato pela crônica. (Absolutamente oportuna...) Espero que os brasilienses poderosos a leiam.
    Abraço,

    Vendra (José Eduardo Vendramini)

    ResponderExcluir
  54. Romildo Sant'Anna é um grande sancho sem tanta pança; o blog é de filosofia da literatura.
    Mo Toledo

    ResponderExcluir
  55. Como sempre, meu amigo, os moinhos de vento nem se atrevem a tentar deter a tua inspiração! Isto é senso de justiça e compaixão no mais elevado grau.
    Profissão de fé: que nossos quixotismos nunca se extingam. Que nossas visões e emoções sobrevivam! É isso!
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  56. Querido Romildo,
    excelente crônica: inteligente, informativa e com o seu estilo impecável. Li também
    a da soldada. A sociedade tem que acreditar nas mudanças. Nada pode ficar estagnado,
    é a lei da evolução.
    Adoro você e sinto saudades, amigo. Bjs.
    Maria Helena Chein (Goiânia)

    ResponderExcluir
  57. Meu querido
    Parabéns pela belíssima crônica. Você mostra brilhantemente que certas obras, por mais antigas que sejam, permanecem refletindo a realidade. Nenhum dos preceitos colocados para Sancho Pança teriam alguma repercussão em Brasília ou em qualquer esfera do poder.

    Grande abraço do Jacob

    ResponderExcluir
  58. Romildo Sant'Anna, eu li o texto no blog..ficou ótimo, como sempre. Miguel de Cervantes e Dom Quixote me deram um "nó" desde primeira leitura...que é sempre atual."
    Dorinha Vinha

    ResponderExcluir
  59. Acabei de ler e reler... Acho que existe Don Quixote , Cervantes e Romildo... Já nao posso separá-los
    Beijos
    Arice da Costa

    ResponderExcluir
  60. Sem dúvida Dom Quixote é uma obra muito à frente de seu tempo, de fato visionária, não apenas pela maneira como foi escrita, mas também por seus ideais.
    É certo que a política deve ser feita de maneira honrosa, com ética e moralidade, mas também é certo que essas duas qualidades, imprescindíveis nas atitudes de um governante, nunca estariam unidas sem o espírito de coletividade. Afinal, o governante não é senão um gestor oriundo da vontade coletiva e a ela deve se voltar a todo momento, sobretudo porque vive frequentemente em um "golfo profundo de confusões". Vale dizer que o papel da sociedade é exatamente esse que você cumpre em suas crônicas, qual seja, o de ser o eterno Dom Quixote, a alertar o Sancho Pança em que votou democraticamente e nunca deixar que ele se guie "pela lei do bel-prazer".
    Jorge Abdanur

    ResponderExcluir
  61. Don Quijote de la mancha que ensució tu cordura, caballero demente de la triste figura... Gracias Romildo!
    Lu Mière

    ResponderExcluir
  62. Romildo, que beleza!!
    E como D.Quixote mostra bem o poder que a mente tem em criar um mundo ideal no lugar de uma realidade que se mostra insuportável.
    bj

    ResponderExcluir
  63. Muito bom, gostei muito e me nutri de conhecimento. Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  64. Alexandre Brogliato Engelsexta-feira, março 09, 2012

    Adorei a leitura e o seu blog, voltarei aqui mais vezes concerteza. Abraços - Alexandre Engel

    ResponderExcluir
  65. LINDO,SEU TEXTO!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  66. Muito boa lembrança, Romildo, a de pinçar e traduzir estes preceitos do Quixote. Se não servem para alertar nossos governantes e políticos - nada serve de nada para eles quando é de ética e moralidade que se trata -, que pelo menos sirva, de fato, de advertência sobre "como deveríamos governar a nós mesmos ao longo da existência", como você bem ressaltou.
    Excelente texto, Romildo, obrigado por mais essa. Grande abraço, grande amigo!

    ResponderExcluir
  67. Romildo, adorei!!! Te admiro por sua sensibilidade e inteligência. Agradeço por compartilhar este seu talento com todos nós. Grande abraço. Cássia Guerra

    ResponderExcluir
  68. Professor, mais uma vez um texto brilhante. Me emociono com suas palavras. Parabéns!
    Thiago Ariosi

    ResponderExcluir
  69. Parabéns Professor ... nosso povo tem sede de justiça ... são códigos éticos antigos, porém imutáveis! Abraços Capitão Pedro.

    ResponderExcluir
  70. Excelente texto.
    Condutas éticas que se enquadram em qualquer civilização, em qualquer sociedade.
    Com certeza são imutáveis.
    Muito apropriado para nosso políticos, nossa justiças, nossas leis.
    Grande abraço.
    Lu Thomé

    ResponderExcluir
  71. Ja dei uma bisbilhotada.. preciso ver com mais calma. Que honra ter vc aki... saiba que depois de todos esses anos (me formei em 84) tuas aulas estão entre as mais úteis que recebi. Vc se lembra do "Alguns poetas do Apóscalipso"? aos sábados pela manhã - que maravilha akilo tudo!!!... na verdade queria ter aulas de História da Arte nos dias atuais.. com meus quase 50 anos e todas as viagens que fiz.. por onde passei em minha viagens lembrava de vc.. de kdo vc contou quando pisou pela primeira vez no Museu do Prado, que chorou.. dos filmes que nos fez analisar/criticar, dos quadros do Silva que nos ensinou a ver! Somente posso te dizer um sonoro MUITO OBRIGADA !! Um grande beijo prof. !! Adoroooooo!"

    Eliana Rodante Piffer

    ResponderExcluir
  72. Muito bom relembrar Dom Quixote...
    “Os grandes cargos – ensina – não são senão um golfo profundo de confusões”. E que golfo!
    Continuação de boas inspirações!
    Com os meus melhores cumprimentos,
    Luciano Amaral

    ResponderExcluir
  73. Oi, mestre.

    Sempre acredito que que estou lendo sua melhor crônica,como essa que acabo de ler.Entretando,me engano sempre-a que vem depois é ainda melhor.Parabéns da amiga Cidinha Gratão Faconti

    ResponderExcluir
  74. " Convido a todos a se revolucionarem em Dom Quixotes e Sancho Panças e combaterem o bom combate , contra toda a estupidez humana , para quem sabe um dia , evoluirmos suficientemente sensíveis e por isso melhores , nos intrincados enredos da vida ."

    Abraços

    L. C. de Mattos

    ResponderExcluir
  75. Excelente publicação, como sempre.
    Carlos Alexandre Gomes

    ResponderExcluir
  76. Bom seria, se pudessemos viver o sonho sem estar sonhando.

    Abraços

    Bruna Polsinelli

    ResponderExcluir
  77. Parabens Romildo excelentes informações, adoro Dom Quixote, e o visual do blog é muito bonito e harmonico, grande abraço Jane Costa.

    ResponderExcluir
  78. Romildo, fiquei muito feliz de encontra-lo hoje...colocarmos os assuntos culturais em dia. Fico feliz de tê-lo como sincero amigo, parceiro. Parabéns pela crônica . Publique sempre pra gente poder vir aqui e aprender um pouco mais.

    Lory Ferreira

    ResponderExcluir
  79. ótimo para refexão, pena que nossos políticos, mesmo se lerem, serão incapazes de compreender seu texto segundo uma professora minha de psisologia da educação, a maioria de nossos políticos estão no estágio heterônomo, para eles roubar é normal, troca de favores faz parte de suas vidas, os famosos acordões, e assim segue nossa política desde a descoberta do Brasil. Grande abraço professor e apesar de tudo não perco a esperança..

    Elaine Bueno

    ResponderExcluir
  80. Romildo, você é um laureado escritor de vanguarda que, tal como nesta crônica, soube atualizar os fatos,ligá-los com sutileza e criatividade à política de nosso tempo, sem esquecer os velhos pilares que sustentam a tão querida e centenária história do venturoso Don Quixote. Felizmente há por aí, também,"Quixotes" pós modernos que,conquanto ingênuos,parecem estar sabendo como filtrar o bom e superar a lida, num mundo que desejamos cada vez melhor! Privilegíe-nos com mais crônicas! Nilsen Estrella

    ResponderExcluir