terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

GRACIOSA MADALENA











Nossa mãe e suas histórias! No cuidado de manter aceso o lenho do fogão, alentava-nos dalgum mistério da vida. Assim, se seguiram diário em nossa casa contos como as de santa Maria Goretti. Órfã de pai, cuidava dos irmãos menores. Certa vez, estando em casa a costurar, se lhe acercou um desconhecido grosseiro em palavras, obsceno em desejos. Ante a recusa ao estupro, traspassa-lhe o peito com o punhal. Em sangue, balbucia o perdão ao desalmado. Encolhíamo-nos em gesto de horror.




Santa Maria Goretti (imagem em gesso)



Certo dia, com a história latejante na cabeça, quis ver a santa em figura. Era pior do que nossa mãe nos narrara. Jazia sob o altar, em manta branca de cetim, num caixãozinho de vidro. Era certo que, por armadilha do desespero, fora enterrada viva. Transbordou-se naquela imagem o mais sufocante dos meus medos. E, toda vez, pedia à mãe que repetisse nossa história predileta: a graciosa Madalena.




Santa Maria Gorettti (imagem em gesso)


Sou camarada vivido, imerso num enxame de palavras. Entrevejo nossa mãe em meio à fumaça, buscando os fios que nos enredavam em histórias.  Madalena, a pecadora.  Perguntei de seu pecado. Desconcertada, respondeu com um enigma: luxúria. Fiz sinal de entendimento. Em casa o que nunca houvera foi luxo (que nem na casa da Goretti). E mesmo que fôramos “luxosos”, haveria sempre a provocação do Messias: atira a primeira pedra!  Essa era minha cena predileta: o desafio à tomada de consciência e a deposição de todas as armas. Amortecidas as fúrias, Madalena se alevanta alumbrada, plena, e beija um homem por primeira vez.



Ticiano. Maria Madalena (1565),
Museu Ermitage, San Petersburg (Russia).



Pecadora? Não. Imagem difusa em nosso espelho.  Eia, Musa dos quatro evangelhos, dos quatro cantos do planeta, nos quatro elementos da natureza. Madalena dos quatro mares, donzela dos quatro costados, das quatro fases da lua, dos quatro pontos cardeais. Sombra do pecado em toda gente, pendurado nas quatro hastes da cruz. Certo dia, vindo a saber que Jesus visitava um fariseu, eis que adentra na sala a dama da cidade. Quebrando as normas da casa, lentamente se aproxima. Traz num frasco o mais fino dos perfumes. Em silêncio, banha os pés do convidado e, afagando-os no rosto, enxuga-os com os cabelos. Após, na surpresa em que viera, afasta-se delicadamente.




El Greco. Maria Madalena (1580-85),
Nelson-Atkins Museum, Kansas City (USA).



Pecadora? A mulher subiu em aflição a pirambeira do calvário e ajoelhou-se ante a tragédia. Eia, ali, noiva morena dos injustiçados, enfermeira dos impuros, guardadora dos sepulcros e das ressurreições. Enlutada, aportou nalgum lugar, cheia de graça, alumiada por dentro...  Os feitiços da existência engendraram seus encantos de contos por contar, de um fogão em lume a aquecer os corações. Pra que houvesse a sagração duma proposta: ser um contador de histórias e partilhá-las consigo, dileto leitor.




 Rubens. Cristo e Maria Madalena (1580),
Pinacoteca de Munique (Alemanha).






93 comentários:

  1. Muito bom meu amigo! sabe que nunca tinha visto a santa Goretti? Mas também sempre ouvi histórias a respeito.. obrigado pelo momento em que me vi transportado a minha infância. abraços e parabéns!!

    ResponderExcluir
  2. Adoro história de santos e santas. Mas sei que dificilmente serei um. Até pela minha visão atravessada da realidade.

    ResponderExcluir
  3. Que beleza de crônica Romildo! "Graciosa Madalena"... Esse nome carrega lírios e calvários, toda Madalena é cercada de mistérios...!!!

    Claudete Liberalli

    ResponderExcluir
  4. Adorei....realmente linda história...
    parabéns amigo...obrigado por compartilhar!!

    ResponderExcluir
  5. eterno Rô, saudades imensas...
    adorei sua Madalena . Quem de nós nunca teve uma faceta Madalena?
    beijos e obrigada por nos brindar com palavras tão perfeitamente costuradas...
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Adorei Romildo! Uma boa leitura de manhã alimenta a alma! compartilhe sempre!! obrigada!! bjos :)

    Lia Torini

    ResponderExcluir
  7. Romildo

    Quantas coincidências, meu Deus!

    Santa Maria Goretti era a santa preferida da minha mãe, portanto fui criado com a santa dependurada na parede da minha casa, nos fundos da Rua General Glicério, em frente ao saudoso cine São José. Tab ontem, fiz a leitura (com interesse histórico e comparativo com alguns aforismas de Nietzsche)do evangelho de Lucas (gosto muito dele, por ser mais cheio de detalhes e sem a preocuparção de evagelhizar os fariseus...), e li atentamente a passagem de Maria Madalena. O seu texto é brilhante, cheio de graça, e beleza. Continue escrevendo, sempre!!! Zémanoel Aguiar

    ResponderExcluir
  8. Romildo

    Que lindo,amigo!Sua escrita de Madalena é perfeita.Agradeço por nos presentear com essa Belíssima crônica.Você é brilhante!

    Marta Mazzotta

    ResponderExcluir
  9. Crônica perfeita Romildo....Madalena: ontem, hoje e sempre...dos mitos, dos medos, dos erros, enfim, contrita...gosto muito...um beijo.

    SOLANGE TOMAZELLI

    ResponderExcluir
  10. Romildo, maravilhosa crônica, muito obrigado.

    ResponderExcluir
  11. "A sagração duma proposta: ser um contador de histórias, e partilhá-las consigo, dileto leitor." Privilégio nosso, amigo Romildo. Obrigado pela arte de contar que você partilha franciscanamente conosco. E nos eleva.
    Júlio Cezar Garcia

    ResponderExcluir
  12. Olá Romildo! Não conhecia a santa Maria Goretti e ler a sua crônica foi um deleite. Adorei. Feliz dia para você. Bjs.

    ROSELI ARRUDA

    ResponderExcluir
  13. Romildo....gostei!!! um texto com uma descrição minuciosa!!!
    Sabe, sou uma apaixonada por arte....queria ter tido aulas da historia da arte com vc!!!abraço.

    Amanda Miotto

    ResponderExcluir
  14. Estou seguindo seu blog e curtindo suas publicações. Bjos e parabéns pelo trabalho.
    Lígia Silveira Mendes

    ResponderExcluir
  15. Bom dia Romildo!Ontem entrei no seu blog, mas não comentei.Até me emocionei ao ler, pois quando adolescente fui Goretina.PARABÉNS!!!Fiquei muito feliz, pois tive belas e gostosas lembranças de uma época tão feliz.Obrigada pela felicidade que me proporcionou.Um forte abraço. Rosely Canizza

    ResponderExcluir
  16. Linda história...muito bem contada!! amei obrigado por compartilhar..me alegrou o dia!! bjus!!! Toninha Gil

    ResponderExcluir
  17. Muito bom Romildo! Obrigado. JOSÉ HEITOR SANTOS

    ResponderExcluir
  18. "Eia, Musa dos quatro evangelhos, dos quatro cantos do planeta"... enquanto nós, seres blindados, nos assemelhamos aos quatro vasos canopos, com o coração retido no centro de quatro caixas. Uma dentro da outra. E nada que nos machuque. Beijo santo, adorei! Silvia K.

    ResponderExcluir
  19. Essa era minha cena predileta: o desafio à tomada de consciência e a deposição de todas as armas. Amortecidas as fúrias,""Romildo numa trascendental santidade!!!
    MANOLO HUERTA

    ResponderExcluir
  20. Romildo, obrigada pela crônica. Como sempre, uma delícia de ler! Beijos
    Patricia Reis Frisene

    ResponderExcluir
  21. Malabarismo literário de Bolshoi...sem palavras...abraço e obrigado... RENATO GAGLIARDI

    ResponderExcluir
  22. Amei... Muito boa.. faz bem a Alma !!!
    Zezé Marques

    ResponderExcluir
  23. Feliz você, meu amigo, que acredita e venera tantas Marias!
    Salvatore D'Onofrio

    ResponderExcluir
  24. Simplesmente adorei, deixei um carinho por lá, obrigada
    Silvia Khauam

    ResponderExcluir
  25. Querido amigo,
    Grato pela crônica. Realmente, lembranças maternas e imagens religiosas são muito fortes.
    Espero que tudo esteja bem e continue sempre assim.
    Adorei ler seu perfil: real, otimista, auto-crítico.
    Bem Romildo.
    Abraço,
    José Eduardo Vendramini

    ResponderExcluir
  26. Maravilhosa! Sensível e profunda. Rô obrigada por partilhar comigo. Bjs Deborah

    ResponderExcluir
  27. Compartilhei querido!
    Linda história, deveríamos sempre lembrar dela...
    Vc é fantástico Romildo, tem o dom de nos fazer voltar no tempo, beijos
    ELOISA MATTOS

    ResponderExcluir
  28. Romildo,
    Adorei sua cronica! É muito rica em elementos e sensaçoes....Ela contem o encantamento da santidade e, ao memo tempo, consegue retratar toda a doçura, contradiçoes e fragilidade da figura feminina.Parabéns!
    Neide Nery

    ResponderExcluir
  29. Linda sua crônica !Ela é contada com doçura e veracidade. Parabéns Prof Romildo, seus escritos são sempre de conteúdo que só acrescenta.
    Virginia casseb

    ResponderExcluir
  30. Muito bacana, Romildo. Madalena ungiu os pés de Jesus com o bálsamo do nardo, o que gerou muita história sobre sua relação com ele. Mas a poesia da cena e seu significado está muito além das constatações mundanas. Vale o sonho e a crença. Abraços e vou compartilhar.
    Marta Pagotto

    ResponderExcluir
  31. Romildo: Você escreve com a alma e o coração. Espetacular.
    Manoel Antunes

    ResponderExcluir
  32. Romildo, li toda a crônica , adorei!!! Deixei um comentário sobre Santa Goretti, só não sei se vai passar, não soube mexer nem o q fazer no final!!! Estou num iPad e não consigo campartilhar certas coisas, senão compartilharia!!! Agradeço mto sua atenção !! Abraços
    Rosane Beolchi Tavares

    ResponderExcluir
  33. Olá, Romildo
    Que bela crônica-imagem. É impossível que alguém não se delicie com sua leitura, além das belas pinturas.
    Grande abraço do amigo Jacob.

    ResponderExcluir
  34. Toda vez que postar algo novo , faço questão de ler e fazer um comentário . Tenha um ótimo final de tarde , e uma bela noite de descanso . Amei seu estilo , sua sensibilidade e meus parabéns. Lourdes Basso

    ResponderExcluir
  35. Romildo...e sua grande sensibilidade!
    Neide Nery

    ResponderExcluir
  36. Olá Romildo , boa tarde . Li e reli sua crônica , achei o seu estilo de fácil compreensão , transparente . Lembrou-me minha infância , quando eu , meu pai e mãe, em; noites frias jantavamos "ao rabo do fogão " . Mas , volto ao comentário : Romildo , como pode perceber , sentí-me inserida em sua crônica . Lembrei-me de meu tempo de colégio católico (hoje não mais sou católica, e ,sim evangélica) onde líamos a vida dos santos e santas . Mas seu estilo é muito claro e delicioso de ler . Parabéns meu amigo ,aqui está em discussão uma opinião do que você tão bem desempenha que é a escrita expontâneamente . Li tambem a de Maria Madalena e amei as duas ."
    Lourdes Basso

    ResponderExcluir
  37. Nossa Romildo!!!! lindo, gosto muito
    Valéria De Cápua

    ResponderExcluir
  38. Parabéns pela crônica, sempre me emociona leituras sobre Jesus filho de Javé, pois Ele foi o primeiro a lutar contra qualquer tipo de discriminação, deixando bem claro que o julgamento de nossos atos cabe a Deus ... logo é possível a conversão de uma prostituta? Lógico que sim e de um ladrão (Dimas morreu do lado de Jesus e foi perdoado em questão de minutos antes da sua morte). Pra Deus tudo é possível Somente Ele lê os corações dos homens ... sendo assim pergunto quem merece a salvação nos dias de hoje? Quanta gente se prostitui sem ter conjunção carnal?
    Pedro Ribeiro

    ResponderExcluir
  39. Parabéns gostei muito! Cap Pedro.

    ResponderExcluir
  40. Oi Romildo,obrigada por compartilhar!
    Que doce e delicada crônica de uma figura tão presente em todas nós!bj
    Bel

    ResponderExcluir
  41. " Ostentar o estandarte do mêdo na coragem de mostrá-lo. Seguir os passos da corrente multidônica e sangrar o coágulo da hipocrisia."

    ResponderExcluir
  42. oi Romildo, que delícia de crônica, um presente pra alma.Amei!! Todos temos um quê de Madalena e eu tenho muito, pois sou Maria Madalena. Gostei do cometário que diz:"Esse nome carrega lírios e calvários, toda Madalena é cercada de mistérios...". bjos
    Madá Freire

    ResponderExcluir
  43. Mido, adorei. Emocionante, mais seria redundâcia.
    Bjs

    Katie

    ResponderExcluir
  44. Parabéns pela crônica! Sua capacidade de criar imagens é algo muito expressivo. Adorei!!!

    ResponderExcluir
  45. Uma crônica cheia de encanto. Obrigado por esse momento de deleite, Romildo.
    Abraço

    ResponderExcluir
  46. Que bom,no fim do dia... ter você a me contar histórias!!
    Adorei. Beijos
    Jacq

    ResponderExcluir
  47. "É sempre um deleite ler as Cronicas do Romildo Sant'Anna. Obrigada querido bjs
    FERNANDA RONCATO

    ResponderExcluir
  48. Romildo Sant'Anna, obrigada por este link. Hoje foi um dia muito difícil pra mim. Convivi de perto com a morte de alguém próximo, partilhei momentos de dores de grandes amigos que choraram a limitação da nossa condição humana. Madalena tornou-se grandiosa por ser extremamente humana. Gosto de pensar na humanidade de Deus, acredito que assim tocamos o divino. Sua crônica proporcionou alegria, poesia e singularização nas últimas horas deste dia. Confesso que estava com saudades de seus textos. Parabéns!

    Marcela Evangelista Rodrigues

    ResponderExcluir
  49. Vi sua página através de um contato em comum; quando li o nome e vi que era cronista, me lembrei de uma crônica que foi feita para o meu pai, no Diário da Região: Milton de Souza, falecido em 1994. Se eu não me engano, foi você quem escreveu e o título era: "Enterraram uma luz brilhante". Obrigada, abraços.
    Milla Almeida

    ResponderExcluir
  50. Gosto muito do seu modo ímpar de escrever. Parabéns!
    Lígia Ferreira

    ResponderExcluir
  51. Muito obrigado por suas palavras, Deus o abençoe.

    Claribel Marrero

    ResponderExcluir
  52. Gostei muito, muito mesmo. Mas como sempre acontece, as preferidas sobressaem aos nossos olhos (ou ao nosso espírito?), seja pela vivência religiosa da infância (Graciosa Madalena) seja pela mocidade já vivida (Herivelto e Dalva, minha Dalva estrela).
    Grande abraço
    Wilson Daher

    ResponderExcluir
  53. Parabéns Romildo, como sempre, suas crônicas me encantam. Palavras singelas histórias simples, porém narradas de forma saudosa e carinhosa. Eu diria que narradas de forma "Romildo Santana".
    Tens aqui um devoto de seus textos e crônicas.
    Abraços.
    Nelio de Castro Gomes

    ResponderExcluir
  54. Coisas que vc escreve devem ser lidas com calma. Foi o que eu fiz. E me dei bem. Comecei o dia lembrando frase do Roberto do Valle ("A manhã é um insulto"). Agora, melhorou meu humor ao ler sua crônica: contigo, recuperei imagens da minha infância. Você tem intimidade com o universal. MadaHelena. Grande abraço.
    WILSON GUILHERME

    ResponderExcluir
  55. Queeeeeeee lindoo!
    Nina Soares

    ResponderExcluir
  56. Obrigado por compartlhar essas tristes histórias dessas santas maria madalena e da sta goretti. DEUS te abençoe.

    Carmem Caetano

    ResponderExcluir
  57. Romildo, parabéns! Mais uma de suas mais originais CRÔNICAS ! Agradeço o envio. Grande abraço!
    Vera Nunes Mussi

    ResponderExcluir
  58. E que continuem os contos...(eu e as reticências...) Adoro todos eles e adoro você!!!

    Elisete

    ResponderExcluir
  59. Oi, Romildo Sant'Anna, obrigada pela crônica, recebi como um presente. bjo.
    Madalena Freire

    ResponderExcluir
  60. Muito bom Romildo. Belo texto. Reminiscências e santidade, tudo a ver. Flávio Marques Alves

    ResponderExcluir
  61. Bom, para dizer o mínimo, diante do que senti ao ler... diria, talvez... SUBLIME!!!

    ResponderExcluir
  62. olá Romildo.. esta história de Sta Maria Goretti, fez ou (faz. ?)parte do meu imaginário desde a infancia, qdo a ouvia na sonora , porém eloquente voz da minha mãe, que aliás.. era uma grande "contadeira " de histórias..e em cada fase do meu desenvolvimento o sentido mudava ,segundo o novo entendimento... como é bom lembrar disto !!!obrigada pela emoção !! VERINHA SPOTTI

    ResponderExcluir
  63. Belissima cronica !
    Ler vc e sempre um prazer ...abracos
    Jeanne Gantman

    ResponderExcluir
  64. Excelente! Uma estória que nos faz viajar, acariciando o coração.
    Luciano A.

    ResponderExcluir
  65. Romildo, linda crônica! Um grande abraço. Flávia Bueno

    ResponderExcluir
  66. Curti muito a Madalena e os Lábios que Beijei, Romildo, vou ler outras depois; gostei mesmo do blog, da forma e das imagens.
    Mo Toledo

    ResponderExcluir
  67. Olá, Romildo Sant'Anna!!! Tudo bem? Adorei seu texto sobre a santa Maria Goretti, te confesso que ñ tinha visto ainda , e maria madela a seguidora de jesus... Beijos uma ótima noite a ti também...
    Vanessa Villani

    ResponderExcluir
  68. Oi Romildo Sant'Anna, gostei, muito. BTW minha irma tbm se chama Madalena...e a Santa Goretti nao conhecia, entao alem de curtir tbm aprendi!!! bjs"
    Elemy H. Lacerda

    ResponderExcluir
  69. Romildo Sant'Anna, parabéns!!! SUBLIME!!!

    Vanessa Godoi

    ResponderExcluir
  70. Olá, professor, mas é claro que eu gostei.
    Já disseram tudo que eu ia dizer...
    Adoro suas crônicas!
    Excelente, parabéns!

    ResponderExcluir
  71. Tudo que vem de você é indiscutivel meu querido.
    Joilda Gomes Gomes

    ResponderExcluir
  72. Gostei ,momentos preciosos de leitura do amigo...sigo buscando suas letras para alimentar meu ser.obrigado.

    Daniel Tarraf Junior

    ResponderExcluir
  73. Romildo, tudo que vem você engrandece o mundo literário de nossa cidade.Temos orgulho de você.Seu conto é belíssimo. Parabéns!

    ResponderExcluir
  74. Muito lindo nao tenho nem palavras...
    Obrigada...

    ResponderExcluir
  75. Caro Romildo, entrei no seu blog, é ótimo, gostei da crônica, é de nos encher o coração de graça. Texto excepcional, sublime mesmo.
    Leda Nascimento

    ResponderExcluir
  76. Ma-ra-vi-lha,Romildo...quenem a Goretti.

    Vera Vetorasso

    ResponderExcluir
  77. Romildo, meu privilégio. E já li a GRACIOSA MADALENA . Adorei. Tanto que vou compartilhar com a xará Maria Madalena Telesca.
    Madá Oliveira

    ResponderExcluir
  78. ‎Romildo, sejam bem vindos os bons encontros sempre!! Plenas sejam as letras!A honra é toda minha! Ótima semana, beijos!!!
    Renata Veloso

    ResponderExcluir
  79. Ro, gostei muito, palavras bem usadas em tom de poesia. Passa pela dor, pelo sofrimento e nos encanta com sua escrita mais uma vez. Adorei. bj
    Fabiola Zancaner Arvati

    ResponderExcluir
  80. Muito linda Romildo... Amei.... Parabéns!!!!
    Tania Pachá

    ResponderExcluir
  81. Meu privilégio. E já li a GRACIOSA MADALENA . Adorei . Tanto que vou compartilhar com a xará Maria Madalena Telesca . Grande abraço.
    Madá Oliveira

    ResponderExcluir
  82. Lindo demais querido .Sempre nos presenteia com coisas que tocam fundo nossa alma.Saudades de vc !!!Das nossas conversas cheias de filosofia com muito carinho.
    Maria Amelia Mussi Mussi

    ResponderExcluir
  83. Ótimo, grande poeta! Continue como construtor de sonhos, do exclusivo estilo "Lítero-Quixote" e faça de suas palavras realidade agradável. Abs
    Valdecir Cremon

    ResponderExcluir
  84. Grande texto, meu amigo, lavrado na forja autêntica dos senhores das palavras. que me remete para a casa da Redentora, onde nos reunimos várias vezes para estudar. Tive eu a impressão de ouvir sua mãe... Muito bom!
    A propósito, você já deve ter ouvido falar dos Manuscritos do Mar Morto, um dos quais consistiria no Evangelho de Jesus Cristo escrito por... Maria Madalena! Que teria vivido maritalmente com Jesus. Parece que nem tudo é ficção na obra de Dan Brown. Vamos pesquisar... Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  85. Maravilhosa! Sensível e profunda. Rô obrigada por partilhar comigo. Bjs Deh
    Deborah Bighellini

    ResponderExcluir
  86. Grande, Romildo! Pura poesia, tua santa prosa! Obrigado por aproximar de mim, e de nós todos, esse cálice de vinho tinto da tua transubstanciosa palavra!
    Um beijo, mestre amigo!

    ResponderExcluir
  87. Romildo, sua crônica é uma oração. Amém!

    gzg

    ResponderExcluir
  88. Parabéns, Romildo! Ler suas crônicas é sempre um prazer. Adorei ler sobre Maria Goretti, pois a santa era a preferida de minha avó. Beijo.

    Dina Tonanni Spilimbergo

    ResponderExcluir
  89. Muito Obrigada, Romildo! Gosto muito de tudo o que vc escreve! Bjo

    Luciana Teixeira

    ResponderExcluir
  90. No fim das contas, é isso que é o cristianismo: o culto à dor, à injustiça, à culpa (que chamam de pecado) e ao sofrimento!
    É a exaltação da ausência de consciência dos humanos como seres naturais,tranformando-o num escravo do devaneio da concepção do divino. O ser humano não é criatura, e sim criador de sua propria realidade - como um simbionte da Natureza.
    Sagrada e sublime é a Natureza, que deu a Magdalena a chance de ter um filho, de ser feliz, de ter um corpo que pode servir como um receptáculo de prazer e felicidade.

    ResponderExcluir
  91. Ola Romildo. Desculpe a falta de pontuaçao, mas ainda nao domino o teclado do mac. Perdoe tambem o comentario alheio ao tema da Graciosa Madalena. Acontece que recentemente comprei num sebo virtual um exemplar da "Liberdade e Azul" e outro do "E Tudo Verdade". Foi um mergulho emocionado e profundo nas aguas do passado. Ri, arrepiei e chorei. Cresci comendo figado e miolo de boi do bucheiro. E surfando nas ondas da Independencia com Bottas & cia. Fui aluno da Dinorath no ginasio do Monsenhor Gonçalves. Trabalhei no Diario com Higa, Reyzinho e Natalone. Tomei muito rabo de galo com o Xerife. Perambulei com Joao Eu-Quero-o-Amor-Maior Pinguinha por delirantes madrugadas riopretenses (depois paulistanas). Imagine reencontrar essas vidas - essa vida - nas tuas cronicas. Paro por aqui. Queria apenas te dizer obrigado. Muito obrigado.
    Antonio Cezar Bergantini (ou Bergantonio, como diz o Jary). acezarb@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  92. Obrigada Romildo pela atenção.Tive a oportunidade de conhecer seu blog e ler seu artigo sobre Madalena,maravilhoso com uma escrita suave e esclaredora.Parabéns, achei muito bonito.

    Virginia Casseb

    ResponderExcluir
  93. tive o prazer de ser sua aluna por pouco tempo e nunca me esquecer de vc ,pq nos leva ao encantamento,beleza rara num mundo tão difícil

    ResponderExcluir