sexta-feira, 21 de outubro de 2011

 



Se te queres matar, por que não te queres matar?
Ah, aproveita! que eu, que tanto amo a morte e a vida,
Se ousasse matar-me também me mataria...
Ah, se ousares, ousa!

"Lisbon Revisited" - Fernando Pessoa



Cézanne - Autorretrato



Só, só duas letrinhas: um ruído sibilante e uma vogal aberta. Pode ser adjetivo, advérbio e substantivo, ou exprimir exclamações, como quando a moçada se harmoniza em concordância: "Só, bicho, só!". Há certo tom de gravidade existencial e filosofia, certa infusão perturbadora nessa palavra, cê não acha? O só, mesmo que negando alguma coisa, é sempre afirmativo, lacônico, arrebatador, esgota-se em si mesmo. Em dadas situações, é o dizer não dizendo, numa espécie de contorcionismo verbal. Diz a mocinha seduzida e ingênua ao conquistador velhaco: "Cê casa comigo?" Ao que ele responde: "Só!".



Paul Klee - Autorretrato



Parece que, na significação do irrisório vocábulo, há um lastro de restrição, desamparo, ironia, solidão e desajuda. É o camarada "sozinho"; é sicrano "apenas"; é o zé-ninguém "isolado"; é fulano "desacompanhado"; é o companheiro "único"; é o beltrano "somente"; é o presidiário de cor, "solitário e indefeso". Tal palavra agrega-se a outras, gerando a ideia de alguém em êxtase místico, como na enigmática letra de Renato Teixeira: "é de sonho e de pó, o destino de um só".


Portinari - Autorretrato Almada Negreiros - Autorretrato



Numas vezes o só se pluraliza para restringir a dois a sozinhez: "falar a sós". Noutras, atravessa na consciência de quem fala e de quem ouve um ar indefinido de dor e deserção: "ele habita a sós no seu mundo". Existe tragédia maior? Há ocasiões ainda em que funciona em noções comparativas, tão depressivas que a infeliz comparada é o espelho de si mesma: "ela é linda que só ela". E assim, por demais graciosa e delicada, ficou só, como uma flor que ninguém viu e murchou.



Frida Kahlo - Autorretrato Gauguin - Autorretrato




Diz a galera que um gol é "só alegria". E, sendo só uma coisa, e por causa disto não podendo ser outra, torna a vida enfadonha, repetitiva. Gol, ou qualquer gozo, que é só prazer, traz a sensação de quero mais, de fome não saciada, compulsivamente. Com o passar do tempo, deixa na gente "só tristeza e a melancolia que não sai de mim, não sai de mim, não sai...", como nos versos de Vinícius em "Chega de Saudade".



Tarcila do Amaral - Autorretrato Monet - Autorretrato



A agonia de ficar só é a sina dos amores mais sonhados. O só é o demais mentiroso, superlativo irônico da alegria e da aflição: "ele ganha só um milhão por mês!" que, entre nós, coloca o aquinhoado entre os muros de si, na competição consigo de ter mais do que já tem. Antônio Nobre, simbolista lusitano, definhou na construção duma única obra: "Só". Fez para si uma imaginária e narcísica torre de marfim (talvez o mergulho sem volta no abismo de seu próprio livro), e lá, só, no emaranhado patético dos pensamentos torpes, vivenciou a morte até morrer.



Picasso - Autorretrato



Isso posto, requisita-se que o telegráfico só, o anêmico só, o melancólico só, o antiético só, deve ser banido dos dicionários das virtudes. Tem parentesco com o falecimento de todos os órgãos, que é o só mais solitário e diferente de tudo que existe, sem público, sem flórida, sem pêndulo, sem ênfase, sem vodka, sem antídoto. Análise sem síntese, só lágrima.



Max Ernest - Autorretrato


van Gogh - Autorretrato
(esse preferiu o beleléu antes da hora)


2 comentários:

  1. "Só, só, somente só... enquanto corria a barca"
    Ah! Romildo, estar só não depende de quantas pessoas temos à nossa volta, depende de como estamos com nós mesmos. Concorda?
    abraços e saudades!

    ResponderExcluir
  2. MUITO BOM, NUNCA ESTAREI SÓ...
    "É sobretudo na solidão que se sente a vantagem de viver com alguém que saiba pensar."
    ABRAÇO

    ResponderExcluir